O papel do RH na Gestão da Força de Trabalho

Em um mundo moderno, onde a tecnologia avança cada vez mais em todos os setores da sociedade, no departamento de RH não é diferente. Se antes o Recursos Humanos era somente um setor que se ocupava com tarefas mais burocráticas, como admissões e demissões, agora, ele tem um papel fundamental na gestão da força de trabalho.

No RH 4.0, por meio de softwares com análise de dados, o Recursos Humanos se tornou peça-chave no desenvolvimento do capital humano dentro da empresa. Com o RH tecnológico, torna-se possível entender o perfil comportamental de cada colaborador mesmo antes da sua admissão. 

Assim, o RH consegue identificar se aquele profissional tem o fit cultural da empresa e em quais atividades ele se sentirá mais motivado e engajado — além de obter dados estratégicos sobre sua produtividade. Logo, a força de trabalho aumentará, melhorando os resultados da organização. 

Se você ficou interessado nesse processo e quer entender melhor como o RH tem um papel de protagonismo na gestão da força de trabalho da empresa, continue a leitura!

O que é a Gestão de Força de Trabalho?

Gestão da Força de Trabalho (GFT) ou Workforce Management (WFM) é um processo inovador que organiza, de forma mais estratégica, o trabalho dos colaboradores, com foco na melhoria da produtividade da empresa.

Por meio do auxílio da tecnologia na gestão da força de trabalho, com o uso de softwares de inteligência artificial com análise de dados, é possível otimizar diversos processos, como avaliação de desempenho, treinamento e desenvolvimento de seus profissionais, alinhando-os aos objetivos da empresa. 

Quais as atividades e processos da Gestão da Força de Trabalho?

A gestão da força de trabalho envolve algumas atividades e processos, como veremos a seguir.

Recrutamento e Seleção

Antigamente, o recrutamento e seleção dentro das empresas se resumia em recebimentos e análise de currículo, além de entrevistas, não existindo quase nenhum recurso tecnológico envolvido.

Agora, em um mundo globalizado, no qual o mercado está cada vez mais concorrido, os novos profissionais procuram trabalhar em empresas que se preocupam com seu bem-estar e desenvolvam seu potencial. 

Logo, ao utilizar sistemas de recrutamento e seleção aptos a automatizarem a contratação, é possível filtrar os talentos que mais se identificam com a cultura e a política da empresa, o que é fundamental para ter colaboradores de alta performance, aumentando a eficácia no alcance dos objetivos do negócio. 

Gestão de equipes

Cada vez mais, as empresas estão se dando conta de que é preciso equipes de alto desempenho para produzir os resultados que desejam. 

Assim, organizações focadas na força de trabalho, usam softwares de inteligência de dados para estimular seus colaboradores, por meio de seus perfis comportamentais, na distribuição de tarefas e na elaboração de ações que trabalhem seu crescimento e desenvolvimento, melhorando o desempenho da equipe como um todo. 

Humanização da gestão

Outra tendência na gestão da força de trabalho é proporcionar uma condução mais humana da equipe, baseada em gestão comportamental, por meio da metodologia people analytics, melhorando a experiência do colaborador no ambiente organizacional. 

Isso porque, uma boa gestão compreende que uma administração focada no capital humano é um fator primordial no desempenho dos mesmos, influenciando diretamente na satisfação do consumidor final.

Desse modo, para aumentar a força de trabalho, essas empresas precisam oferecer boas lideranças, cultura com objetivos claros, clima organizacional motivador e tantos outros fatores que humanizam a gestão — tornando essa experiência um diferencial para os colaboradores, que se sentirão valorizados como pessoas.

Gestão de projetos

A gestão de projetos tem como base não apenas as habilidades técnicas para realizar o trabalho, mas também reúne as aptidões comportamentais que podem ser identificadas na gestão de pessoas.

Além disso, o acompanhamento de todos os processos de um projeto é uma tarefa complexa. Logo, por meio de softwares de gestão, torna-se mais fácil realizar o acompanhamento e o controle de cada uma das etapas, contribuindo para o aumento da produtividade. 

Plano de Cargos e Salários

Esse plano funciona como uma espécie de manual, demonstrando quais cargos e funções existem na empresa, suas definições e que competências são necessárias para que um colaborador ocupe cada um deles.

Assim, quando os gestores analisam, por meio de um software, as competências dos colaboradores e realizam o cruzamento dos dados de acordo com os cargos disponíveis, fica mais claro entender quais têm o perfil para ocupar cada um deles.

Previsões do negócio 

Não importa se sua empresa é pequena ou grande, praticamente todas as decisões e processos dentro dela precisam ser baseados em uma previsão. E para planejá-las de forma eficaz, é necessário a automatização dos processos. 

Para isso, o gestor pode realizar análises para obter dados e insights para fazer previsões que respondam às mais diversas necessidades de negócios, tornando a tomada de decisões mais estratégica.  

Controle de ponto

O controle de ponto nas empresas passou por várias transformações ao longo dos anos. As antigas planilhas de controle e cartões magnéticos foram substituídos por softwares e hardwares, dando maior autonomia ao colaborador na marcação do seu ponto.

Além disso, esse novo formato de controle, permite que colaborador consulte suas horas trabalhadas, tornando o processo muito mais transparente, além de facilitar na gestão da força de trabalho. Isso porque, o ponto digital reduz ocorrências de fraudes, além de simplificar e otimizar o processo, já que atualiza e armazena as informações em tempo real.

Qual o papel do RH nos processos?

A área de Recursos Humanos e suas tendências vieram para melhorar e facilitar não só a vida do profissional de RH, mas, também, todos os setores dentro da empresa. A substituição de toneladas de papéis por softwares e ferramentas tecnológicas, agiliza os processos massivos, possibilitando a essa área uma atuação mais estratégica dentro da organização. 

Por meio da metodologia people analytics, é possível coletar os dados que estão no big data, cruzá-las e analisá-las, transformando-as em informação organizada e útil para melhorar a qualidade na decisão dos gestores sobre os colaboradores da empresa. 

Com isso, o RH também consegue acompanhar, de forma mais estratégica, fatores como o engajamento, produtividade e a satisfação dos profissionais na organização — fortalecendo o planejamento da força de trabalho.

Quais as vantagens da implementação da Gestão da Força de Trabalho?

Durante a leitura, você pôde observar vários benefícios que a gestão da força de trabalho pode trazer para a empresa. Agora, entenda definitivamente quais são as vantagens do uso correto de uma boa gestão de processos:

  • otimização do atendimento ao consumidor;
  • aumento da motivação e satisfação dos colaboradores;
  • facilita na organização assertiva de custos e investimentos;
  • gestão de alta performance e mais humanizada;
  • maior compliance (cumprimento de regras e normas legais);
  • redução nas despesas de pessoal;
  • gestão do tempo e melhoria dos indicadores de produtividade;
  • processos mais ágeis e estratégicos;
  • desenvolvimento de diferenciais no mercado.

Automatizar algumas tarefas repetitivas do setor de RH, faz com que sobre mais tempo para que o setor possa focar na gestão da força de trabalho, com ações e estratégias que valorizem o que existe de mais importante dentro de uma organização: as pessoas. 

A intenção é que toda essa tecnologia trabalhe a favor, seja escolhendo o profissional certo para a vaga, trabalhando a relação entre líderes e colaboradores, melhorando o clima organizacional, dentre outras estratégias da gestão de pessoas.

E se você quer entender melhor como a humanização da gestão impacta positivamente nos resultados da empresa, não deixe de acessar o conteúdo sobre gestão comportamental!

Este texto foi escrito pela equipe da Sólides.

Leave a comment