Como o People Analytics pode otimizar a sua empresa

como o people analytics pode otimizar sua empresa?

Vivemos na era da informação, dados são essenciais para transformar a comunicação e o relacionamento. É por meio de insumos coletados via processos digitais e off-lines que as empresas podem ter insights e otimizar processos ou alterar produtos. Metodologias como o People Analytics (PA) são ferramentas que possibilitam esse cenário.

Empresas que ainda não estabeleceram processos para coletar e monitorar os dados dos colaboradores perde oportunidades de transformar o ambiente organizacional a fim de garantir melhorias e conquistar benefícios.

Entender o que é People Analytics permite avançar na era da informação. Essa metodologia possibilita concentrar os principais dados sobre os profissionais que atuam na empresa e, a partir deles, otimizar a gestão de pessoas.

 

Entendendo o People Analytics

Em um cenário tradicional e manual, os dados podem ser perdidos por diferentes motivos. Com isso, perde-se oportunidades de melhorias e avanços em todos os setores. O papel estratégico na empresa passa pela compreensão e análise de dados coletados em tempo real.

O People Analytics é uma ferramenta que permite a coleta e análise multidisciplinar em uma organização. O Departamento de RH consegue aprofundar a apuração dos dados dos colaboradores a fim de tomar decisões mais precisas e eficientes.

É comum utilizar o People Analytics para otimizar a gestão de pessoas pois por meio dessa ferramenta é possível ter informações que vão além do endereço, cargo, nome completo e etc. Pode-se estudar os dados comportamentais de cada colaborador e mapear as áreas que sobressaem com determinado perfil de colaboradores.

Na prática, essa metodologia é uma espécie de Big Data, coletando, armazenando e oferecendo dados que podem ser cruzados com o intuito de criar insights para decidir como será determinado processo seletivo, quem poderá ser progredido na carreira ou quem precisa ser desligado da empresa.

É por meio também do People Analytics que o Recursos Humanos poderá compreender e analisar situações turbulentas dentro do ambiente de trabalho, monitorando a produtividade dos colaboradores e indicadores de qualidade. Dessa forma, o RH consegue gerar análise preditiva, prescritiva, descritiva ou diagnóstica.

 

Relacionando o People Analytics e os modelos de gestão

Existem diferentes padrões e formatos utilizados para gerenciar uma equipe. Pode-se aplicar uma gestão democrática, meritocrática, focada em resultados, focada em processos, autoritária, por cadeia de valor, por competências e por desempenho.

A escolha para o formato ideal para uma empresa depende de uma análise apurada das especificidades da organização, seus valores culturais, objetivos etc. O PA pode ser um mecanismo que auxilia no momento de escolha e aplicação de um modelo para a gestão de pessoas.

O People Analytics na gestão por competências, por exemplo, pode facilitar na análise e compreensão das capacidade de todos os colaboradores. Pode-se fazer um mapeamento sobre cada habilidade técnica e socioemocional para definir em quais áreas o colaborador poderá se destacar.

Além disso, por meio dessa análise, pode-se propor treinamentos e Planos de Desenvolvimento Individual para que os colaboradores tenham suas dificuldades superadas. Além de aumentar a produtividade, essa prática ajuda no engajamento dos profissionais com a organização.

Contar com os dados sobre todo o histórico do colaborador é uma maneira de garantir que as decisões tomadas pelos gestores serão pautadas em critérios objetivos — que beneficiem o crescimento da empresa.

A análise menos subjetiva pode ser realizada quando se alinha People Analytics e Perfil comportamental. Os perfis comportamentais são reconhecidos por características marcantes, alinhados às soft skills dos colaboradores.

Existem quatro perfis predominantes no mundo, todos estão presentes nas pessoas, mas se destacam de maneiras diferentes. Conhecer as especificidades de cada um ajuda na compreensão do colaborador. Os quatro perfis são:

 

  • Executor: são, normalmente, ativos, otimistas e dinâmicos;
  • Comunicador: reconhecidos por serem extrovertidos e informais;
  • Planejador: caracterizados pela empatia e pela organização;
  • Analista: rigidez e comprometimento com o trabalho são características marcantes.

Em algumas pessoas, um perfil comunicador pode ser predominante, enquanto em outros o executor pode ser majoritário. Isso definirá a reação da pessoa diante de feedbacks, desafios, treinamentos, interações etc.

Coletar essas informações por meio de uma metodologia de People Analytics amplifica a análise possibilitando novas tomadas de decisões.

 

Utilizando o People Analytics no processo seletivo

Um dos momentos mais importantes para a empresa é o processo seletivo. É por meio de um recrutamento e seleção bem alinhado e estratégico que torna-se possível fazer uma contratação alinhada aos valores e interesses da empresa.

Segundo a Page Personnel, 9 em cada 10 profissionais contratados pelo perfil técnico são demitidos pelo comportamento. Os impactos da rotatividade no lucro da empresa é sentido no final de cada mês, pois além dos direitos trabalhistas necessários no momento da demissão, há o investimento já realizado em treinamento e onboarding do colaborador que está saindo.

O processo seletivo com People Analytics atua diretamente nessa dor. Por meio de uma análise de competências e das habilidades sociais dos candidatos — utilizando como base o perfil comportamental de cada um — é possível ter uma contratação mais eficiente e próxima das necessidades.

Além da cultura organizacional, é importante que a nova contratação tenha as competências socioemocionais necessárias para atuar em determinado setor. E isso varia conforme o departamento da empresa.

Para ter maior eficácia, o ideal é mapear todos os colaboradores da empresa coletando informações sobre os perfis, as competências e o histórico dentro da organização. Dessa forma, é possível estabelecer um “job description” que aponte não apenas as necessidades técnicas para a vaga, mas também as sociais.

Realizar uma contratação que esteja alinhada aos pontos técnicos e comportamentais diminui as possibilidades de um turnover. A economia é sentida no final de cada mês e, com o passar do tempo, o novo profissional fica cada vez mais integrado e produtivo.

Pensar no Recursos Humanos sem tecnologia e dados tornou-se obsoleto. A área é cada vez mais estratégica e necessária para o desenvolvimento do negócio e o crescimento de cada um dos colaboradores. É por meio da capacitação comportamental e técnica dos profissionais que a empresa colherá frutos.

O People Analytics é uma ferramenta necessária para despertar todo o potencial estratégico do RH para a organização. Por meio de dados, as mudanças deixam de ser subjetivas e tornam-se objetivas e criteriosas.

Não deixe de continuar o seu aprendizado e confira nosso conteúdo com tudo sobre People Analytics.
Este conteúdo foi desenvolvido originalmente por Giuliano Sales, analista de marketing da Sólides, empresa que oferece plataforma completa de Gestão de Talentos com People Analytics e Gestão Comportamental.